sábado, 3 de novembro de 2007

Talvez eu seja mesmo essa pessoa dentro de uma concha, talvez você tenha razão, não, não é talvez. Você tem razão, eu não me abro, não da forma como você espera, não escancaradamente, explicitamente, indiscriminadamente....eu me abro sutilmente e as vezes você não percebe. Não percebe porque fica esperando que eu use todas as palavras, que eu “grite” sem gritar, porque você não gosta de gritos, mas que eu me mostre carne e sangue e eu não posso. Eu não sei mostrar. Não que eu esconda, não é isso, é só que me é difícil admitir todo o feio e frágil e tolo que tenho em mim. é preciso paciência e um olhar calmo e as vezes umas doses.

Um comentário:

daniel sant'iago disse...

Tão complicado ser simples, né?
Beijo.