sábado, 5 de novembro de 2011

Vai dar certo

Muitas pessoas canalizam para a vida amorosa toda a sua expectativa de felicidade. Muitos se sentem incapazes de sobreviver sem a ajuda, a companhia e os cuidados de um(a) parceiro(a). Elas têm em comum a crença de que é através do outro que se assegura o próprio valor.

Pessoas que aprenderam a projetar as suas expectativas de felicidade no relacionamento amoroso, costumam esperar do(a) parceiro(a) a resposta para todas as suas necessidades. Nada mais equivocado.

Acredito que não é possível delegar a ninguém o poder sobre o próprio bem estar.

Cada um é responsável pela construção da sua vida. O relacionamento amoroso deve ser baseado no amor, na capacidade de auto-aceitação, respeito, admiração, exercendo autonomia e desejo de compartilhar com o outro. A dependência é o contrário da troca amorosa.Casamento não é “seguro-felicidade” para ninguém.

Quem não consegue sentir-se bem consigo próprio e sofre com o fato de estar só, não apresenta condições emocionais nem maturidade para viver um relacionamento pleno.

A solidão pode ser paralisante como pode ser também fonte de criação, de transformação. Aprender a lidar com a solidão sem sofrer é uma libertação, pois a pessoa amadurece, aprende a cuidar de si mesma e a não aceitar relacionamentos insatisfatórios.

Enquanto o "grande amor" não acontece, apaixone-se por você, cuide-se com carinho, respeito e admiração, compre um presente para você mesmo e, por favor: pára com essa idéia de buscar alguém especial e passe ser VOCÊ a pessoa especial.

Um comentário:

Francine Carvalho disse...

E as pessoas vão se levando pela promessa de que não serão felizes sozinhas, que não serão ninguém desacompanhadas e vão esquecendo que é impossível amar o outro quando não há o amor por si próprio. Buscam suas metades e se esquecem que todos somos inteiros, mesmo sozinhos.