sábado, 23 de agosto de 2008

Desejos

De tanto desejos Desejei... Que foge a mim O discernimento... Neste momento, só sinto, Só sou. Que se dane as Convenções... As boas e más Intenções. Que brote em Mim os desejos. E os beijos Que sejam dados, Roubados, De ti. E o fogo tome Conta de nós. E os nós sejam Atados, apertados, Nos desejos, Nos beijos, De nós dois. E seja, Enfim. Os desejos Saciados. Pois o que Tenho de melhor Hoje são os desejos, Que sinto, que me Permito ter.

2 comentários:

Anônimo disse...

É O DE MAIS FORTE QUE CONSIGO EXPLICAR EM RELAÇÃO A VOCE: O DESEJO!
E CADA DESEJO REALIZADO É O NASCIMENTO DE MAIS SONHOS, FANTASIAS E VONTADES.
VOCE É SEMPRE UM SHOW!!
ALBERTO

Thiers R disse...

Fantástico! como é msm seu nome? eu procurava uma foto e dei de cara com seu poema no google.. Li estes desejos onde vc se permite. Permitir-se é uma palavra que gst muito..
Ah-mei este trecho:
>>>
foge a mim
O discernimento...
Neste momento,
só sinto,
Só sou.
Que se dane as
Convenções...

>>>